Treinamento interno

A gerente solicitou um relatório por escrito dos zeladores de seu hotel. Todos os dias, ela queria saber quem limpava cada cômodo, quais quartos não tinham sido tocados e quanto tempo os funcionários investiam em cada ambiente. O primeiro relatório “diário” chegou uma semana depois, parcialmente concluído.
Isso a alertou de que a maioria deles não sabia ler. Ela poderia demiti-los, mas providenciou para que tivessem aulas de alfabetização. Em 5 meses, todos liam o nível básico e continuaram trabalhando.
Deus muitas vezes usa nossas lutas em preparação para continuarmos trabalhando para Ele. A vida de Pedro foi marcada por inexperiência e erros. Sua fé vacilou ao andar sobre as águas. Não tinha a certeza se Jesus deveria pagar o imposto do Templo (Mateus 17:24-27). Rejeitou a profecia de Cristo sobre a crucificação e ressurreição (16:21-23). Com cada questão, Jesus ensinou a Pedro mais sobre quem Ele era — o Messias prometido (v.16). Pedro ouviu e aprendeu o que precisava para ajudar a edificar a Igreja Primitiva (v.18).
Se hoje você está desanimado por alguma falha, lembre-se de que Jesus pode usar isso para ensinar-lhe e levá-lo adiante em seu serviço ao Senhor. Cristo continuou a agir na vida de Pedro, apesar de suas limitações, e Ele pode nos usar para continuar a construir o Seu reino até que Ele volte. Pão Diário

Coisas inteiras de novo

No documentário “Um retrato de Wendell Berry: Olhe e veja”, Berry falou sobre como o divórcio descreve o nosso mundo. Estamos divorciados um do outro, da nossa história, da terra. Coisas que deveriam estar inteiras são separadas. Questionado sobre isso, Berry afirmou: “Não podemos colocar tudo de volta. Pegamos apenas duas coisas e as colocamos juntas. Duas coisas quebradas tornamos uma novamente”.
No entanto, Jesus nos diz: “Felizes os que promovem a paz” (Mateus 5:9). Promover a paz é trazer shalom. E shalom refere-se ao mundo que está sendo ajustado corretamente. Um teólogo descreve shalom como “florescimento, inteireza e prazer universais… É o jeito que as coisas deveriam ser”. Shalom é pegar o que está quebrado e tornar inteiro. Como Jesus orienta, esforcemo-nos para fazer as coisas certas. Ele nos chama para sermos pacificadores, para sermos o “sal da terra” e a “luz do mundo” (vv.13,14).
Há muitas maneiras de sermos pacificadores no mundo, que possamos travar em cada uma o combate contra a desolação e não nos rendermos a ela. No poder de Deus, escolhamos não permitir que uma amizade morra ou que um bairro em dificuldades definhe ou ceda à apatia e ao isolamento. Que busquemos os lugares desolados, confiando em Deus para nos dar a sabedoria e a habilidade de colaborar para restaurá-los novamente. Winn Collier - Pão Diário

Apenas um sopro


Doe 1 euro clicando no botão amarelo na coluna ao lado. Deus abençoe!

Roberta trouxe-me a dura realidade da morte e brevidade. Minha amiga de infância tinha apenas 24 anos quando um trágico acidente ceifou a vida dela. Roberta crescera numa família disfuncional e parecia que estava seguindo em frente. Era recém-convertida em Jesus. Como a vida dela poderia terminar tão cedo?
Às vezes a vida parece curta demais e cheia de tristeza. No Salmo 39, Davi lamenta o seu sofrimento e exclama: “Mostra-me, Senhor, como é breve meu tempo na terra; mostra-me que meus dias estão contados e que minha vida é passageira. A vida que me deste não é mais longa que alguns palmos, e diante de ti toda a minha existência não passa de um momento; na verdade, o ser humano não passa de um sopro” (vv.4,5). A vida é curta. Mesmo se vivermos para ver um século, nossa vida terrena é apenas uma gota no tempo.
No entanto, com Davi, podemos dizer: “És minha única esperança” (v.7). Podemos confiar que a nossa vida tem significado. Embora “nosso exterior esteja morrendo”, como cristãos temos confiança de que “nosso interior está sendo renovado a cada dia” — e que um dia desfrutaremos da vida eterna com Ele (2 Coríntios 4:16–5:1). Sabemos disso porque Deus “nos preparou para isso e, como garantia, nos deu o Espírito”! (5:5). Alyson Kieda - Pão Diário

Algo para se gabar

O que significa ser real? Essa é a grande questão respondida no clássico livro infantil O coelho de veludo (Ed. Poetisa, 2015). Essa é a história dos brinquedos numa creche e da jornada do coelho de veludo para se tornar real, permitindo-se ser amado por uma criança. Um dos outros brinquedos é o velho e sábio Skin Horse. Ele “tinha visto uma longa sucessão de brinquedos mecânicos chegarem para se gabar e aos poucos falharem… e serem esquecidos”. Esses brinquedos e seus sons pareciam impressionantes, mas o orgulho acabava e era inútil quando se tratava de amor.
O orgulho começa forte; mas no final, sempre desvanece. Jeremias lista três áreas onde isso é evidente: “sabedoria… poder… riquezas” (9:23). O sábio e velho profeta tinha vivido tempo suficiente para saber algumas coisas, e ele contra-atacava com a verdade do Senhor: “Aquele que deseja se orgulhar, que se orgulhe somente disto: de me conhecer e entender que eu sou o Senhor…” (v.24). Que nos lembremos das palavras do profeta Jeremias.
Que nós, os filhos, nos orgulhemos de Deus, nosso bom Pai. No desdobramento da história do Seu grande amor, essa é a maneira maravilhosa como você e eu crescemos para nos tornar mais e mais reais. John Blase - Pão Diário

Olhos detrás da minha cabeça

Fui tão travessa quanto outras crianças em meus primeiros anos e tentava esconder o meu mau comportamento para evitar problemas. Porém, minha mãe geralmente descobria o que eu tinha feito. Lembro-me de ficar espantada com a rapidez e precisão que ela descobria minhas travessuras. Ao me surpreender e perguntar-lhe como sabia, a resposta era sempre: “Tenho olhos detrás da cabeça”. Isso, é claro, levou-me a observá-la sempre que ela virava de costas. Seus olhos eram invisíveis ou encobertos por seus cabelos ruivos? Ao crescer, desisti de procurar por evidências de seus olhos extras e percebi que eu não era tão sorrateira quanto supusera. Seu olhar atento era a prova de seu amoroso cuidado por seus filhos.
Por mais grata que eu seja pelo cuidado atencioso de minha mãe (apesar de ocasionalmente desapontar-me por não ter escapado com alguma coisa!), sou mais grata ainda por Deus ver “toda a humanidade” quando nos olha lá do Céu (Salmo 33:13). Ele vê muito mais do que aquilo que fazemos; vê nossas tristezas, alegrias e nosso amor uns pelos outros.
Deus vê o nosso verdadeiro caráter e sempre sabe exatamente o que precisamos. Com visão perfeita, vê até o funcionamento do nosso coração, cuida dos que o amam e depositam sua esperança nele (v.18). Ele é nosso Pai — amoroso e atencioso. Kirsten Holmberg - Pão Diário

Fiel em cativeiro

Numa manhã em 1948 o pastor Haralan Popov não sabia que rumo sua vida tomaria quando tocaram a campainha de sua casa. Sem aviso, a polícia búlgara o encarcerou por causa de sua fé. Popov passou 13 anos presos clamando ao Senhor por força e coragem. Apesar do tratamento horrível que recebia, Popov sabia que Deus estava com ele e compartilhava as boas novas com outros prisioneiros e muitos criam no Senhor.
José não tinha ideia do que lhe aconteceria após ser vendido por seus furiosos irmãos aos mercadores que o levaram ao Egito e o venderam a Potifar, um oficial egípcio. Ele se viu numa cultura que adorava milhares de deuses. Para piorar, a esposa de Potifar tentou seduzi-lo. José a recusou, e, mesmo assim, ela o acusou falsamente, levando-o à prisão (Gênesis 39:16-20). Deus não o abandonou. O Senhor não somente estava com ele na prisão, mas “lhe dava sucesso em tudo que ele fazia” e “o tratou com bondade” concedendo-lhe favor com as autoridades sobre ele (vv.3,21).
Imagine o medo que José deve ter sentido. No entanto, ele permaneceu fiel e íntegro. Deus estava com José nessa difícil jornada e tinha um propósito para a sua vida. O Senhor tem um plano para você também. Encoraje-se e caminhe por fé, confiando que Ele vê e sabe. Estera Escobar - Pão Diário