Cultos ao domingo, grupos de estudos bíblicos durante a semana.

Favoritismo

Em seu livro fascinante Garlic and Sapphires: The Secret Life of a Critic in Disguise (Alho e Safiras: A Vida Secreta de Um Crítico Disfarçado), Ruth Reichl faz reflexões a respeito de seus 6 anos como crítica de restaurantes para um grande jornal. Por ser a crítica mais influente do país, restaurantes importantes tinham sua foto para que seus empregados pudessem reconhecê-la. Na esperança de ganhar uma classificação elevada no jornal, apresentavam a ela seu melhor serviço e sua melhor cozinha. Para contrapor, Ruth desenvolveu uma estratégia inteligente. Querendo ser tratada como qualquer cliente, ela se disfarçava. Em certa ocasião, vestiu-se como uma senhora de idade. O pessoal do restaurante a fez esperar muito tempo para sentar-se, e foi desatencioso com os seus pedidos. Na igreja primitiva, Tiago pronunciou-se contra o favoritismo: Se “...atentardes para o que traz o traje precioso, e lhe disserdes: Assenta-te tu aqui num lugar de honra, e disserdes ao pobre: Tu, fica aí em pé, ou assenta-te abaixo do meu estrado, porventura não fizestes distinção entre vós mesmos…” (Tiago 2:3-4). Tratamos com imparcialidade as pessoas que vão às nossas igrejas? Mostramos favoritismo ao rico e à elite? Deus nos chama para demonstrarmos interesse e preocupação por todas as pessoas, independente de suas posições sociais. Acolhamos a todos para que juntem-se a nós em adoração ao Rei! Dennis - Pão Diário

Dia de Boas novas

Meu amigo australiano Graham não nasceu cego. Ele tornou-se cego devido a um acidente aos 9 anos de idade. No entanto, nunca sentiu autocomiseração. Em todo lugar que ia, partilhava o que Jesus significava para ele. Sua última viagem foi à Tailândia, como fisioterapeuta. Além de usar suas habilidades profissionais naquele país, queria falar das Boas novas de Cristo. Os quatro leprosos em 2 Reis 7 também tinham boas novas para partilhar. Haviam achado o acampamento dos sírios e o encontraram deserto. Depois de se servirem de comida e despojos, lembraram-se das pessoas famintas em Samaria, isoladas como resultado do cerco do Exército sírio. Sua reação foi: “…Não fazemos bem; este dia é dia de boas novas, e nos calamos…” (v.9). Então foram e contaram aos seus compatriotas israelitas a respeito das provisões. Apesar de suas desvantagens físicas e sociais, tanto Graham quanto os leprosos lembraram-se dos outros. Ficaram agradecidos pelo que haviam encontrado e o consideraram bom demais para guardar só para si mesmos. Você conhece alguém que precisa saber o que Jesus fez? Não se desculpe pelas habilidades que você não possui. Partilhe, ao invés disso, as Boas novas que o Senhor tem feito por você, e sua vida terá um novo objetivo. Hia - Pão Diário

Tornando-nos íntegros

O romance As Vinhas da Ira de John Steinbeck, ganhador do prémio Pulitzer, começa com uma cena da cidade de Oklahoma, EUA, desolada pela seca durante a Grande Depressão. Com as plantações morrendo e a terra sufocada pelo pó, as mulheres observavam os homens para ver se cederiam sob a pressão. Quando viram a vontade dos homens em continuar, elas recobraram o ânimo. Steinbeck escreve: “Mulheres e crianças souberam, no fundo de seus corações, que nenhuma desventura seria grande demais para suportar se seus homens permanecessem íntegros.” A questão não era felicidade, prosperidade, ou satisfação, mas integridade. Esta é a nossa maior necessidade. Na versão Almeida Revista e Atualizada da Bíblia, a palavra curado é usada com frequência para descrever a obra de cura física que Jesus realizava. Quando o Senhor se deparou com um homem que havia sido inválido por 38 anos, Ele perguntou: “…Queres ser curado?” (João 5:5-6). Depois que Jesus curou o homem, Ele o desafiou a envolver-se espiritualmente: “…Olha que já estás curado; não peques mais, para que não te suceda coisa pior” (v.14). Se apenas quisermos que Jesus faça algo por nós, nosso relacionamento com Ele será limitado. Quando desejamos o próprio Jesus, Ele traz inteireza à nossa vida. Cristo deseja, em primeiro lugar, tornar-nos íntegros. David - Pão Diário

Traga-os a Jesus

A leitura das Escrituras tirada de Lucas 18 parecia incomum no culto memorial de David Holquist. Afinal, ele tinha 77 anos quando faleceu. No entanto, o pastor disse que os versículos combinavam perfeitamente com David, professor universitário por muitos anos. Parte do seu legado foi ter gasto tempo com as crianças, as suas próprias e as dos outros. Ele fazia animais e bonecos de balões e ajudava no ministério de marionetes da igreja. Quando planeava os cultos com outras pessoas, frequentemente perguntava: “E as crianças?” Preocupava-se em ajudar as crianças — e não só os adultos — a adorar a Deus. No livro de Lucas 18 vemos o interesse que Jesus tinha pelas crianças. Quando algumas pessoas trouxeram pequeninos a Ele, os discípulos quiseram proteger Jesus, que era um homem ocupado, das crianças incômodas. Mas Jesus parece que não estava incomodado com elas. Bem ao contrário. A Bíblia diz que Jesus ficou “indignado” com os discípulos, e disse: “…Deixai vir os meninos a mim, e não os impeçais…”. Marcos acrescenta que Jesus os tomou em Seus braços e os abençoou (Marcos 10:14-16). Examinemos nossas próprias atitudes com respeito às crianças e então sigamos o exemplo de David Holquist. Procuremos maneiras de ajudá-las a vir a Jesus. Anne - Pão Diário

Alta tecnologia

Quando se trata de comunicação, nosso mundo está se tornando, a cada dia, mais sofisticado. A popularidade das mensagens de texto, do Twitter e Facebook pode fazer alguns pensarem que a Bíblia é muito ultrapassada. Em nosso mundo, os entendidos em tecnologia podem sentir-se desanimados por não haver nenhum som e gráficos bonitos na Bíblia, mas a verdade é que há mais poder de alta tecnologia na Palavra de Deus do que em qualquer ferramenta de comunicação de ponta que nosso mundo poderá vir a conhecer. Não é raro um pastor ouvir: “Aquilo que disse em sua mensagem, era exatamente o que eu precisava ouvir.” De alguma forma, durante o sermão, Deus falou ao coração dessa pessoa com uma mensagem talhada especificamente para ele ou ela. Se você alguma vez leu a Bíblia e sentiu Deus falando diretamente a você, então sabe de que estou a falar. Deus instalou em você o Seu Espírito, que ilumina sua mente para compreender Sua Palavra. Imagine receber uma “mensagem de texto — um torpedo”, diretamente do Criador do Universo dizendo-lhe exatamente o que precisa saber, na hora exata. Não importa quão altamente tecnológico esse mundo se torne você jamais experimentará um modo de comunicação mais poderoso que este! Exulte com o facto de que nós “…não recebemos o espírito do mundo, mas o Espírito que provém de Deus, para que pudéssemos conhecer o que nos é dado gratuitamente por Deus” (1 Coríntios 2:12). Joe - Pão Diário

Nada me faltará

Antes de completarem uma semana de vida, as pequenas águias já estavam brigando por alimento. Nenhuma delas tinha forças para sustentar sua cabeça por mais de alguns segundos, pareciam bolas de penugem com cabeças bamboleantes. No entanto, na hora em que os pais traziam a comida ao ninho, a águia maior não perdia tempo em bicar a águia menor impedindo-a de alcançar um bocado que fosse. Sua agressão teria sido compreensível se o alimento fosse escasso, ou se os pais não fossem dignos de confiança para suprir-lhes o necessário. Nada, porém, poderia estar mais longe da verdade. As aguiazinhas ganhavam porções de peixe às vezes tão grande quanto elas, muitas vezes havia mais que o necessário para as duas. A voraz aguiazinha faz-me lembrar nossa própria tolice quando tentamos conseguir algo que pertence a outra pessoa (Tiago 4:1-5). Os conflitos se desencadeiam porque desejamos algo que Deus deu a um amigo, colega, parente, ou vizinho. Ao invés de pedir a Deus o que precisamos, tentamos conseguir o que Ele deu a outro alguém (v.2). Deus, no entanto, tem algo bom para cada um de nós. Não precisamos de nada que pertença a outra pessoa. E certamente jamais precisaremos prejudicar alguém para obter o que necessitamos. Nosso amoroso Pai celestial tem muito mais do que o suficiente para cada um. Julie - Pão Diário